Condomínio Dália com ordenha robotizada completa um ano

Empreendimento tem produção diária de 5,3 mil litros de leite, uma média de 31 litros/leite/vaca/dia.

Neste mês de dezembro, o Condomínio Dei Produttori Di Latte Brescia comemora um ano de inauguração. O empreendimento leiteiro com ordenha robotizada, construído no município de Nova Bréscia pela Dália Alimentos, conta com 14 famílias associadas, além da própria cooperativa, que possui uma cota.

O primeiro ano de atividades foi marcado por desafios, como ressalta o presidente do condomínio, Admir Lorenzon. “Tivemos dificuldades, principalmente por se tratar de um projeto novo e pioneiro, mas muitas delas foram superadas e cá estamos nós, ajustando e driblando os desafios na produção leiteira.”

O condomínio possui um rebanho total de 174 vacas em lactação, sendo 15 secas, 54 bezerras e terneiras e 12 novilhas. A produção diária é de 5,3 mil litros de leite, uma média de 31 litros/leite/vaca/dia. A ordenha é realizada por três robôs VMS DeLaval que funcionam, em média, 20 horas por dia, resultando em 2,5 ordenhas/animal/dia.

O presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, ressalta que quando se investe em projetos com alta tecnologia, a concepção é diferente. “Tanto os produtores quanto a equipe técnica e os animais alojados, necessitam de tempo para se adaptar a essa nova realidade. Em um ano, o condomínio apresenta números impressionantes, enfrentando desafios, mas seguindo o objetivo de agregar renda, minimizar a mão de obra e melhorar a qualidade de vida das famílias.”

 

Equipe: Ricardo, Mateus, Débora e Marcel executam as tarefas do condomínio

Rotina de trabalho

A rotina de trabalho na granja inicia-se às 6h e a equipe de trabalho é constituída por quatro funcionários, que assumem diferentes funções dentro do condomínio.

Marcel Liotto (32) é o encarregado e responsável por coordenar as tarefas administrativas e gerenciais; Débora Bertollo (28) é a responsável pelo bezerreiro e pelo cuidado dos animais nos robôs VMS; o técnico agrícola Mateus Marchese (21)  dedica-se à alimentação de todo o rebanho e à manutenção da limpeza das camas; e Ricardo Schena (27), que além de ser produtor sócio do condomínio, que desempenha diversas tarefas.

Sócio e funcionário – Ricardo Schena é associado da Dália, do condomínio e integra a diretoria do empreendimento. Desde pequeno observava e ajudava os pais na propriedade onde mora, em Linha Tigrinho Alto, próximo ao condomínio. Conta que, antigamente, a família trabalhava com suínos, aves, fumo e leite, em pequena escala, devido à geografia. Porém, precisaram abandonar algumas tarefas em virtude de problemas de saúde na família. 

 

Aos 16 anos o jovem assumiu a atividade leiteira, se capacitou em um curso de inseminação, abriu uma microempresa de bem-estar animal e terceirizou inseminações para a prefeitura. Tudo conciliando com a atividade avícola mantida pelos pais. Hoje, além de continuar trabalhando com inseminações pela própria empresa, Schena atua com recria de terneiras e lavoura, onde planta milho para silagem de sua cota de animais no condomínio.    

O jovem, que também é delegado da cooperativa, ressalta que trabalhar com o auxilio dos robôs facilita e diminui o esforço físico, porém exige mais atenção. “Essa oportunidade está sendo muito boa para mim, que não sei trabalhar longe dos animais. Desempenho diversas tarefas, internas e externas, desde o pagamento em bancos até o serviço de inseminação, de limpeza de corredores, ordenha, mastites, medicações, trator e limpeza da água das vacas.”

Filho de associado e funcionário – Mateus Marchese concluiu o técnico agrícola no ano de 2014. Natural de Arvorezinha, é filho de produtores associados à Dália naquele município. A oportunidade de fazer parte da equipe do condomínio de Nova Bréscia surgiu logo após a formatura, quando ingressou como estagiário e logo depois foi efetivado.

 

Marchese diz que o trabalho na granja é tranquilo e demanda conhecimento dos utensílios, implementos e equipamentos. “Minha principal função na granja é fazer o trato dos animais, mas também desempenho todos os trabalhos externos e realizo a colocação de serragem nas camas das vacas três vezes por semana”, detalha.

Ele acredita que a oportunidade de trabalho na granja está lhe proporcionando experiência no setor leiteiro com ordenha robotizada. “Na propriedade de meus pais também trabalhamos com leite, porém, com ordenha canalizada, o que me deu conhecimento. Agora, com a ordenha robotizada, percebo o quanto mais fácil se torna trabalhar, podendo controlar a produção através do celular.”

Via Assessoria de Imprensa Dália Alimentos/ Fotos: Carina Marques 

DeLaval nas redes sociais

At DeLaval we use cookies to make your website experience better. You can change your web browser settings if you do not allow cookies or do not want cookies to be saved. Read more about how DeLaval handles cookies. I have read and accepted the information on how DeLaval handles cookies.